Urso

 

O mercado de capitais é um instrumento muitas vezes dirigido pela emoção dos investidores. Quando a economia está bem e não existem nenhuma incerteza sobre o futuro, os preços dos ativos sobem. Por outro lado, quando existe uma ameaça presente, o preço dos ativos despencam.

No decorrer da história tiveram vários momentos de pessimismo. As bolsas de valores, já preparadas para lidar com a emoção dos investidores, criaram mecanismos de defesa contra quedas repentinas: o Circuit Breaker.

Um Circuit Breaker ocorre quando todas as ações da bolsa entram em queda ao mesmo tempo. Esse mecanismo congela esses ativos e a bolsa de valores para de processar as negociações dos investidores. Essa pausa estratégica proporciona um momento para que os investidores acalmem seus nervos e possam usar a razão ou invés da emoção. 

Na história da bolsa de valores brasileira já tiver tivemos alguns Circuit Breaker:

  • em 1997 com a crise asiática;
  • em 1998 com a crise russa;
  • em 1999 com o câmbio flutuante;
  • em  2008 com a crise do subprime nos EUA;
  • em 2017 com a delação da JBS no Brasil;
  •  e em 2020 com o surto de coronavírus.

 

No mercado de capitais chamam esse período de crise de Bear Market, ou mercado do urso, já que esse animal ataca de cima para baixo. Como os preços despencando em uma crise, de cima para baixo. O Bear Market é o oposto do Bull Market, ou mercado do touro, animal que ataca de baixo para cima.

Algumas crises foram mais fortes do que outras mas no decorrer dos anos a bolsa de valores sempre voltou a subir.

O que fazer com a queda da bolsa

Quando enfrentamos uma crise, não existe perspetivas de otimismo. A situação piora ainda mais quando observamos o saldo da corretora caindo e caindo a cada dia.

Mas, e se mudarmos nosso modo de pensar? Quando estamos passando por uma crise, temos que observar se as empresas (ações) ou imóveis (FIIs) que investimos, estão mudando seus fundamentos naquele momento. A resposta muitas vezes é não. Nada mudou na empresa ou no imóvel no qual investimos, eles continuam performando como de costume e entregando dividendos. 

Quer saber como analisar ações? Temos um guia completo sobre o assunto.

A única coisa que mudou foi o seu valor em bolsa de valores, que nada tem a ver com os fundamentos daquele ativo.

O que acontece é que bons ativos estão sendo vendidos a preços promocionais. Fica mais barato se tornar sócio ou cotista daquele ativo.

Para os otimistas, aqueles que sabem que momentos de alta e baixa vão existir, crises são momentos de sair às compras. São momentos de investir em ativos maravilhosos a preços maravilhosos.

Logo, o mundo se estabiliza e veremos os ativos de qualidade subindo novamente. Veremos prosperidade e todos voltando para a bolsa. E aqueles otimistas, que compram quando todos estavam vendendo, são premiados como os frutos de sua racionalidade.

Reserva

É mais fácil encarar um Bear Market quando se tem uma reserva de emergência. Por que? Na bolsa só deve ficar o dinheiro que não vamos utilizar no curto prazo – em um ano ou dois, por exemplo. O objetivo dessa reserva de emergências não é lhe fazer rico(a), mas sim cobrir emergências. Logo, esse dinheiro deve estar sempre, sempre na Renda Fixa.

Em uma crise também não vá tirando seu dinheiro da reserva de emergências para investir mais, pois o objetivo desse dinheiro é apenas emergências. Ele deve ser deixado em paz, e ser resgatado em situação emergenciais apenas.

Aproveite o Bear Market para investir o novo dinheiro que você ganha com seu salário e deixe sua reserva em paz.

Isso vai impedir que caso você venha a ter uma emergência no meio de uma crise, você não venha a perder dinheiro também. 

By Anna Kesya Lima

Acredita que o planejamento e a educação financeira podem fazer com que qualquer meta de vida seja alcançada. Busca difundir a administração de dinheiro de forma simples e eficaz através de investimentos.