Investidor profissional e Investidor qualificado

Uma grande dúvida de quem está entrando agora no mercado financeiro é com relação a classificação dos investidores. Ao sair um fato relevante sobre uma empresa ou um FII sempre aparecem algumas palavras-chave que podem confundir, esse é o caso das intitulações de investidor profissional e investidor qualificado. No artigo de hoje, vamos falar sobre a diferença entre essas duas classificações e ainda tratar de um outro tipo de investidor que anda se popularizando atualmente: o investidor anjo. 

Investidor qualificado

Para ser classificado como um investidor qualificado é preciso ter pelo menos 1 milhão de reais em investimentos; ou seja, esse dinheiro deve estar todo na bolsa de valores ou em títulos de renda fixa. Além disso, esse montante deve constar na declaração de renda anual.

Investidores qualificados podem ser tanto pessoas físicas quanto jurídicas, o que vai importar mesmo é a quantidade de dinheiro investido.

Porém, existem outras formas de se tornar um investidor qualificado. Segundo a instrução 569 da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), são considerados investidores qualificados, os seguintes:

  • investidores profissionais; 
  • pessoas que tenham certificações aprovadas pela CVM; 
  • clubes de investimento geridos por investidores certificados.  

 

Como os investidores profissionais costumam gerir grande somas de dinheiro, eles também pode ser considerados qualificados.

Alguns tipos de investimentos só podem ser adquiridos por investidores qualificados, é o caso das BDRs (Brazilian Depositary Receipts). Elas são direitos de papéis, muitas vezes de ações internacionais, que são negociados na bolsa de valores brasileira.

A CVM faz essa distinção para impedir investidores iniciantes de entrar sem conhecimento em aplicações de risco.

Para se tornar investidor qualificado é preciso entrar em contato com o banco ou corretora na qual você faz seus investimentos e pedir o Termo de Investidor Qualificado. Esse termo tem o intuito de atestar que o investidor tem o conhecimento necessário para investir em aplicações mais complexas e, consequentemente, mais arriscadas.

Quer saber como analisar ações? Temos um guia completo sobre o assunto.

Investidor profissional 

Para ser investidor profissional é necessário ter 10 milhões de reais em investimentos.  Por causa dessa grande quantia, a maioria dos investidores com essa classificação são gestores de fundos de investimentos e instituições financeiras.

Assim como a classificação de qualificado, para ter essa titulação é necessário assinar um termo de comprovação.

A CVM também considera como investidor profissional, os seguintes:

  • instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil;
  • companhias seguradoras e sociedades de capitalização;
  • entidades abertas e fechadas de previdência complementar;
  • fundos de investimento;
  • clubes de investimento geridos por administrador autorizado pela CVM;
  • pessoas que tenham certificações aprovadas pela CVM; 
  • investidores não residentes.

O investidor profissional pode investir em qualquer aplicação negociada no Brasil; inclusive investimentos com maior participação no exterior, que são considerados com maior risco, justamente pela volatilidade do câmbio. 

Investidor anjo

Uma denominação que não se encontra na instrução da CVM é o investidor anjo. Com o crescimento e popularização das startups ficou mais frequente o uso desse termo.

Um investidor anjo é uma pessoa física com capital disponível para investir em empresas iniciantes. Essas empresas podem ter um alto potencial de crescimento, mas também podem falir nos primeiros anos. Justamente por isso, o investimento em startups é considerado de altíssimo risco.

Investidores anjos são geralmente pessoas que têm um visão de longo prazo e capital disponível para perdas ocasionais. Logo, esse tipo de investimento é restrito para poucas pessoas que possuem esse capital para se negociar.

Conclusão 

O investidor qualificado é aquele que possui 1 milhões de reais investidos ou certificações do mercado financeiro. Esse tipo de investidor pode ser pessoa física ou jurídica e precisa assinar um termo de investidor qualificado. Por causa do conhecimento de mercado, um leque maior de aplicações estão disponíveis para esse tipo de investidor.

O investidor profissional é aquele que possui 10 milhões de reais investidos e atestado por escrito. Muitas vezes, esses tipos de investidores são instituições ou fundos de investimento. Todos os investimentos disponíveis na bolsa brasileira podem ser negociados pelo investidor profissional. 

Por fim, o investidor anjo é aquele que investe em startups, tendo uma alta exposição a risco.

Gostou do artigo de hoje? Comente aqui embaixo!

Obrigada. 

By Anna Kesya Lima

Acredita que o planejamento e a educação financeira podem fazer com que qualquer meta de vida seja alcançada. Busca difundir a administração de dinheiro de forma simples e eficaz através de investimentos.